Caso Carrefour: O que não te contaram ainda sobre a morte de João Alberto

by @prflavionunes

Imagens obtidas com exclusividade pela TV Record mostram que João Alberto Silveira Freitas, o qual morreu após ser espancado em um supermercado da Rede Carrefour, desferiu um soco em um dos seguranças quando estava sendo escoltado até à frente da loja, dando início à briga que resultou em sua morte.

De acordo com a Polícia Militar do Rio Grande do Sul, que esteve no local após o trágico ocorrido e prendeu os seguranças envolvidos no caso, toda confusão teria começado após João Alberto ter ameaçado uma funcionária (uma mulher) do estabelecimento.

Neste exato momento, movimentos da Esquerda, verdadeiros oportunistas de plantão que gostam de usar caixões como palanques políticos, estão tentando dar ao caso uma denotação racial, como se a vítima tivesse sido morta apenas por ser “negro”. Mas como já foi dito pela delegada Roberta Bertoldo, responsável pela condução das investigações acerca do caso, o crime não ocorreu por motivações raciais.

Por mais duro que isso possa ser, João Alberto Silveira Freitas não é o novo George Floyd. Floyd não ameaçou ninguém, não desferiu um soco em ninguém, apenas sofreu uma ação injusta de policiais despreparados que resultou em seu assassinato. O “Caso Carrefour” não tem nada a ver com o “caso George Floyd”.

Pr. Flávio Nunes

Postagens Relacionadas

Deixe uma resposta